TI estratégica: como agregar valor a essa área do negócio?

Autor: Telium Networks, 14/01/2019 às 08:59
TI estratégica: como agregar valor a essa área do negócio?

A revolução digital causou uma verdadeira transformação na TI, fazendo com que o setor deixasse de ter como principal função "apagar incêndios" na empresa. Hoje, mais do que dar suporte à operação dos outros departamentos, seu papel é gerar valor para os negócios. Com isso, cresceu a necessidade de construção de uma TI estratégica.

No entanto, as possibilidades que a tecnologia oferece são muitas — e isso costuma gerar algumas dúvidas. Afinal, como o desenvolvimento tecnológico se relaciona com os negócios? Como agregar valor ao setor de TI e torná-lo mais produtivo? De que forma isso beneficia a empresa?

Neste post, responderemos a essas perguntas, mostrando tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

A relação entre o setor de TI e os resultados do negócio

A revolução digital causou impactos significativos em nossa sociedade, algo que vai além do mercado de trabalho. A popularização de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, além do acesso à internet, criou uma nova geração de consumidores de produtos, serviços e conteúdos.

Com isso, deixou de ser suficiente oferecer um produto de qualidade a preço acessível. O cliente atual quer coisas como produtos e serviços customizados, atendimento de qualidade, praticidade na compra e no uso etc. Para atender a essa demanda, a tecnologia assumiu um papel de protagonista nas empresas.

A TI estratégica é aquela que identifica as necessidades do negócio e aplica seus recursos tecnológicos de forma a otimizar a produção e a entrega de valor aos clientes. Para ir além, ela auxilia a empresa a identificar as oportunidades — o que envolve, por exemplo, conhecer melhor seus clientes e entender seus hábitos e preferências.

Em outras palavras, uma atuação estratégica da TI pode ser decisiva para que uma empresa alcance o sucesso no mercado em que atua.

Mas, afinal, como fazer isso?

Como agregar valor à TI

Fazer com que a TI gere valor para os negócios exige uma aproximação do setor com as estratégias da empresa. Isso não significa tirar dela a responsabilidade pela gestão da infraestrutura operacional, mas envolvê-la nos processos de tomada de decisão — o caminho deve ser a integração com os outros setores e a busca por inovação de processos.

Integre os setores

O primeiro passo é tornar o funcionamento da TI mais holístico. Isso significa dar autonomia para responder às demandas dos outros departamentos com dinamismo e proatividade. Nesse sentido, as necessidades do negócio são atendidas com mais rapidez e de forma eficiente.

Parte desse processo é estar pronto para implementar novas soluções — ou mesmo desenvolvê-las — quando um setor precisa otimizar uma atividade. Manter canais de comunicação abertos também é uma questão fundamental.

Entenda o mercado

A TI deve ser uma ferramenta que ajuda na compreensão das tendências do mercado. Investir em soluções para analisar dados de clientes e concorrentes é um bom exemplo disso — não é à toa que o Big Data é cada vez mais utilizado no mundo corporativo.

Com análises embasadas em dados, é mais fácil prever que ações estratégicas darão resultados melhores. Consequentemente, a empresa pode tirar proveito de oportunidades com garantias maiores de retorno sobre o investimento.

Defina objetivos para a TI

Trabalhar de forma holística não significa que o caos deve reinar na TI. É fundamental estabelecer objetivos claros e mensurar o desempenho da equipe (e da empresa) com indicadores específicos.

É possível, por exemplo, definir como prioridade a otimização dos processos de produção da empresa por meio da inovação tecnológica, buscando gerar competitividade. Reduzir custos operacionais é outro caminho que pode ser trilhado por meio de uma atuação estratégica do setor.

Automatize a comunicação

A dinâmica do mercado atual exige que as empresas mantenham canais abertos não só entre os departamentos, mas com clientes, fornecedores e parceiros. Mais do que isso, é preciso otimizar essa relação — quanto mais rápido a troca de informações gerar resultados, melhor.

Nesse sentido, a adoção de Chatbots vem se destacando como solução para uma comunicação integrada. O atendimento ao cliente (e aos usuários da própria infraestrutura da empresa) se torna mais automatizado, elevando a qualidade do serviço e reduzindo custos.

Com isso, os profissionais de TI ganham tempo para focar nas ações estratégicas.

Invista em cibersegurança

Os sequestros de dados com uso de ransomware em 2017 acenderam definitivamente os sinais de alerta em todo o mundo. Manter os dados protegidos no ambiente digital não é um gasto, mas uma questão de sobrevivência.

Por outro lado, é uma questão pertinente a absolutamente todas as empresas. Com isso, uma infraestrutura de cibersegurança robusta se tornou um diferencial competitivo. Hoje, a maioria das médias e grandes empresas busca estabelecer parcerias comerciais exclusivamente com empresas que oferecem garantias de segurança digital.

Tecnologias de criptografia (VPN), computação em nuvem e Blockchain, por exemplo, vêm se tornando cada vez mais essenciais.

Os benefícios de uma TI estratégica

De uma forma mais ampla, o que a TI estratégica permite é o aumento da flexibilidade da empresa para se adaptar às novas demandas do mercado. Com o uso inteligente da tecnologia, é possível identificar as principais tendências do mercado com rapidez e aproveitar as oportunidades.

Do ponto de vista operacional, por exemplo, o custo tende a se tornar menor e a produção mais enxuta — o que significa produzir sob medida, de acordo com a demanda dos clientes, com menos material, menos desperdício e produtividade em alta.

O controle sobre os processos operacionais, por sua vez, também tende a crescer. A TI oferece ferramentas de gestão e deve passar por etapas de integração progressiva dos departamentos. Os gestores trabalham com base em um monitoramento mais preciso, baseado em dados confiáveis, e tomam decisões mais inteligentes.

Nesse sentido, o uso de Business Intelligence (BI) é uma tendência que acompanha a evolução da TI. Os dados são coletados, processados e utilizados para embasar as ações estratégicas da empresa. É um processo que começa no cliente e vai além da entrega do produto ou serviço, chegando ao pós-venda.

São mudanças profundas na estrutura das empresas, mas que todo gestor deve compreender e aplicar de acordo com as necessidades específicas de cada negócio. Com a transformação digital pela qual estamos passando, é preciso fazer da TI estratégica uma ferramenta de crescimento e adaptação ao novo mercado que está se formando.

Se quer saber como isso pode ser feito no contexto da sua empresa, entre em contato com a Telium e fale com quem mais entende do assunto!