Tecnologias e tendências pós-pandemia.

Autor: Telium Networks, 10/12/2021 às 11:00

O mercado mudou nos últimos dois anos. Novas tecnologias entraram no mercado e novos modelos de trabalho começaram a ser adotados em massa para mitigar a ameaça do COVID-19.

Muito provavelmente, a maioria de nossos leitores passou um tempo consideravelmente menor no escritório em 2021 do que em 2019 graças aos novos modelos de home office.

E como todo acontecimento que produz grandes mudanças na sociedade, a pandemia influenciou o uso de diversas tecnologias.

Conexão

Nunca as pessoas estiveram tão conectadas. Este fato se deve à altíssima expansão do trabalho remoto e necessidade de interligar diversas filiais e escritórios para que a atividade da empresa pudesse continuar normalmente.

Por isso, tivemos, recentemente, uma grande expansão da infraestrutura de fibra ótica e, principalmente, adesão aos links dedicados.

Para profissionais que necessitam de conexões com grande confiabilidade, a possibilidade de utilizar serviços de link dedicado e link de backup se tornaram requisitos básico e muito mais acessíveis.

Wireless

Tecnologias sem fio já estavam permeando o mercado em setores que seriam inimagináveis há alguns anos atrás. O conceito de “smart houses” começou a ganhar tração no mercado e muitas pessoas começaram a buscar eletrodomésticos capazes de aderir à internet das coisas.

Apesar disso, conexões cabeadas ainda eram mais seguras, rápidas e estáveis do que as opções sem fio. Para aqueles que precisam dessa segurança, a necessidade de passar cabos de rede pela casa toda era um grande inconveniente.

Recentemente, porém, o wi-fi 4.0 entrou oficialmente no mercado e promete entregar velocidades similares (ou maiores) do que as conexões cabeadas.

O único detalhe é que o kit de roteador e adaptador USB pode ter um preço um pouco salgado pela novidade da tecnologia.

E-Commerce

Aqui temos uma grande variedade de tecnologias e condições que evoluíram para criar um ambiente de comércio virtual altamente eficiente.

Primeiro, temos as tecnologias de pagamento, como o PIX que rapidamente ganhou a adesão de uma parcela considerável da população.

Em seguida, os aplicativos que surgiram aglomerando negócios e setores em uma mesma plataforma, facilitando o uso e busca do usuário.

Por fim, temos a necessidade do comerciante de ter um espaço virtual para continuar desenvolvendo suas atividades em meio ao lockdown.

Com o alto investimento, o Brasil viu, em 2020, um salto de 41% no comércio virtual em relação ao ano anterior.

O que vem depois?

Vivemos uma era em que a situação demanda evolução e ideias inovadoras estão surgindo constantemente. O futuro, porém, é impossível prever em tempos tão dinâmicos, mas certamente estaremos de olho nas principais tecnologias e avanços que possam beneficiar nossos clientes e parceiros!

 

 

 

 

 

 

Nuvem de tags