Planejamento para crises e a importância da redundância na TI

Autor: Telium Networks, 21/08/2020 às 10:18

Já há alguns anos uma quantidade crescente de países tem vendido carros sem pneu sobressalente, ou estepe como é conhecido no Brasil. Nesses países as condições das pistas são inegavelmente melhores que aqui, mas mesmo naqueles países os caminhões sempre andam com estepe, isso para evitar comprometer o core business de suas empresas.

Assim, ao viajar e alugar carro fora do Brasil, é essencial se atentar e verificar se seu carro tem estepe, e qual procedimento deve ser feito caso o pneu fure.

Isso tudo traz à tona uma questão importante, você deixaria de ter estepe no seu carro indefinidamente aqui no Brasil?

A preocupação com a continuidade dos serviços é cada vez mais relevante, especialmente em um momento em que a pandemia está acelerando, e muito, a transformação digital em todas as empresas.

Imagina você, um dia, você verifica que dados, documentos e informações preciosas, que até então, estavam cuidadosa e organizadamente salvas no seu HD e ou na rede da sua empresa, mas, por conta de um dano ou avaria, simplesmente se perderam.

Podemos comparar esse tipo de descuido com a decisão de trafegar pela cidade sem um estepe ou melhor dizendo, sem um planejamento de crises.

Optar pela segurança é sempre a melhor decisão

Você pensa e aprende com seus erros e pesquisa sobre como fazer backups, rapidamente contrata um serviço de nuvem e seu problema está resolvido, você nunca mais passará por uma experiência amarga como essa, não é?

Essa pequena analogia serve para ilustrar o básico do planejamento de contingências. Você identificou um problema e preparou um plano de apoio para caso ele volte a ocorrer.

 

Crise em empresas

Quando um problema como esse ocorre em empresas a gravidade toma outra proporção.

Não são fotos e memórias, são informações de clientes, números de cartões de crédito, informação sensível e sigilosa, projetos em diferentes estágios e muitos outros arquivos cruciais para o funcionamento da empresa.

Em uma situação como essa, o dano pode efetivamente destruir uma companhia.

Voltando para a nossa analogia, seria como se você tivesse outras avarias no carro, por conta do pneu que furou e fez com que você tivesse perdido um grande compromisso.

Para a empresa, dados são o que a mantém funcionando e toda essa informação crucial necessita de um local seguro para existir, estes, são os servidores e os servidores de backup da empresa, sejam físicos ou na nuvem.

 

O que mais pode dar errado?

Nossa pequena analogia com a vida cotidiana não se limita somente aos backups, mas para todo o dia a dia, da pessoa e da empresa.

Imagine que você chega em casa depois de um exaustivo dia de trabalho e quer navegar tranquilamente na internet e relaxar, porém, sua operadora está realizando uma manutenção e a sua conexão está off-line, situação muito desagradável, mas aqui você não sofrerá prejuízo além do inconveniente.

Por outro lado, se você for um trabalhador de home-office e estiver com o prazo apertado para entregar o serviço do dia e sua internet, por quaisquer motivos, cair, pode ocorrer um prejuízo financeiro.

Enquanto que para o uso doméstico não seja necessário esse tipo de precaução, já para o uso profissional há soluções disponíveis para o uso corporativo de pequena e grande escala.

Para evitar problemas com a linha de conexão, o serviço mais adequado é o link dedicado, de forma que o contratante possui 100% da sua banda disponível e uma linha de acesso exclusiva, ou seja, não há outros usuários brigando pelo mesmo espaço que você naquela rota de conexão.

Enquanto o profissional de home-office que investe em um link dedicado tem uma maior segurança de que não terá problemas com a conexão, as empresas e grandes corporações precisam desse serviço essencial, garantindo que suas atividades diárias serão executadas de maneira ágil e adequada.

Junto ao link dedicado também é possível contratar serviços de link de backup, essa opção é item obrigatório para empresas que dependem do uso da internet, pois em caso de quedas e instabilidades no link principal, há o recurso de backup para manter a conexão e fluxo de serviços.

 

Redundância

O termo refere-se ao ato de “insistir nas mesmas ideias”, enquanto no âmbito linguístico possa ser considerado um problema, no mundo da TI a redundância é um ato essencial.

Quando se fala em ambiente empresarial, ter recursos para gerir e antever contingências é prática obrigatória de uma boa governança.

Eventualmente algum problema irá ocorrer e empresas planejadas terão todas as ferramentas para não sofrerem danos decorrentes de tais problemas.

Por exemplo, um problema no armazenamento interno ocorre e você precisa do backup, em uma hipótese grave, esse link pode estar com problemas, é nesse momento que o link redundante é utilizado de maneira que não comprometa o serviço.

O mesmo ocorre com serviços de links dedicados que possuem links redundantes, isso irá prevenir que a empresa fique sem sinal em casos de problemas na linha.

Bons gestores sabem lidar com problemas, os excepcionais preveem e evitam que eles causem danos.

 

Como fazer um planejamento de contingência?

Não existem empresas iguais e consequentemente o planejamento de contingência deve ser feito de maneira customizada para cada negócio.

Esqueça a ideia da “receita de bolo”, porém, há algumas diretrizes que podem ser seguidas.

1 – Identificar quais são os serviços e fornecedores da sua empresa e como eles operam:

·       Você depende de link dedicado? Se sim, possui um link redundante?

·       Qual a política de backups da empresa, possui servidores físicos ou serviços em nuvem?

·       Quais são os protocolos de segurança desses serviços?

·       Em caso de problemas com um desses serviços, há opção redundante para suprir o serviço principal?

·       A empresa contratada para fornecer os serviços possui equipe e equipamentos especializados?

·       A empresa contratada tem suporte disponível sob demanda para atender eventuais problemas?

 

2 – Identificar falhas:

·       Sua empresa faz monitoramento das redes?

·       Há uma empresa contratada para esse monitoramento?

·       Qual a capacidade de a equipe de plantão reagir em uma eventual crise?

 

3 – Investimento em segurança:

·       Sua rede de dados é devidamente protegida?

·       Você possui serviços de firewall?

·       Os colaboradores têm conhecimento de protocolos de segurança?

·       Há uma equipe de TI atuando em cima das vulnerabilidades?

·       Os colaboradores têm acesso a suporte de TI?

 

O plano de contingência não consiste apenas em ter alternativas para eventuais problemas, mas agir diariamente para evitar fragilidades na infraestrutura, por isso o investimento em segurança irá criar a primeira linha de defesa de um ambiente virtual empresarial.

 

Como aplicar esse conhecimento?

Entender a necessidade e os caminhos de um bom plano de contingência é o primeiro passo para a sua implementação.

O segundo é contar com um parceiro que possua o know-how necessário para te auxiliar durante todo o processo e fornecer a equipe e os equipamentos necessários.

A Telium conta com um grande portfólio de soluções e profissionais especializados nas diversas área necessárias para dar a sua empresa todo o suporte requerido para sua segurança.

Entre em contato e faça uma avaliação.

Nuvem de tags