Cabeamento estruturado – o que é?

Autor: Telium Networks, 29/04/2022 às 11:00

Você prepara suas malas, coloca seu notebook na mochila, com o carregador, afinal, bateria não é infinita, ajeita as passagens no bolso e pega um taxi para o aeroporto.

Quando você embarca, aproveita para tomar um dramin, para dormir sossegado e aplacar o medo de aviões, pois quer chegar no seu destino, uma vez que essa é a sua primeira viagem internacional.

Ao chegar no hotel, você arruma suas coisas e coloca o notebook para recarregar a bateria, ou melhor, colocaria, pois, o padrão de tomadas é completamente diferente do que você usava no Brasil.

Cenário familiar?

Pois bem, vamos pegar esse problema, que poderia ter sido resolvido com um simples adaptador, que pode, ou não, ser fácil de encontrar e expandir para uma escala gigante, como, por exemplo, redes empresariais.

Servidores, componentes e cabeamento são produzidos por mais de uma única empresa e nessa escala a diferença de padrões pode ser um grande problema.

Imagina a quantidade de adaptadores necessários para fazer qualquer projeto de infraestrutura eficiente utilizando cabeamentos com padrões diferentes.

Esse foi um problema que surgiu nos anos 90 quando a AT&T, Dec e IBM lançaram cada um os seus próprios sistemas proprietários de cabeamento.

Um exemplo próximo no nosso dia a dia é a diferença de padrão de carregadores entre Apple e Android. Se você for a única pessoa do seu grupo a utilizar um desses formatos, é bom ter um cabo reserva em mãos.

A solução

A maioria de vocês já deve ter imaginado uma solução bem simples para esse problema: padronizar.

Como foi feito na maioria dos smartphones (exceção da Apple), fez-se um padrão para maioria do cabeamento.

No Brasil dos anos 90, a expansão do cabeamento estruturado progrediu muito por meio da introdução do cabo de par trançado e a introdução das normas ETA/TIA e ISO que ajudaram a padronizar cabos, conectores e procedimentos.

Efeitos práticos

Como exemplificamos no início do texto, o cabeamento estruturado é uma forma de evitar que existam custos monumentais na troca de aparelhos e sistemas. Imagina ter que trocar toda estrutura de cabos e hardware de uma empresa inteira para fazer um upgrade simples de infraestrutura?

As normas também evitam que as companhias que produzem esses equipamentos mudem de padrão constantemente para forçar o usuário a trocar equipamentos de versões mais antigas que ainda estão plenamente operacionais.

Enquanto algumas diferenças regionais podem ser possíveis, o cabeamento estruturado irá garantir que na maioria dos casos exista um padrão previsível e à prova de mudanças futuras que não sejam absolutamente necessárias.

 

 

 

Nuvem de tags